segunda-feira, julho 17, 2006

qual o papel da cópia na colaboração?

Tanto prego a colaboração e a cooperação, mas tem horas q dá vontade de dar um passo atrás.
Minha orientadora diz que somos formados na escola como templo da cópia (quem não fez aquele exercício na primeira série chamado "cópia"), onde eram repassadas verdades absolutas, verdadeiras e eternas, e ao aluno só restava copiar, decorar e reproduzir na prova. A criação não tinha espaço, assim como a discussão, os questionamentos acerca dos saberes, os relacionamentos entre temáticas...
Um clássico é Levy, que nos fala da nova relação com o saber. A produção da ciência já não segue paradigmas tão absolutos, não se coloca mais como verdade inquestionável. O conhecimento vai se expandindo e, graças ao poder de acumular informações, não precisamos partir do zero para chegar a alguma conclusão, assim como também parece meio incoerente tentar reproduzir um saber "enciclopédico". E eu realmente acho interessante termos tantas informações a nossa disposição (atuais, com diferentes pontos de vista...) para produzirmos a partir delas.
Da publicidade e das artes vem duas frases: "nada se cria, tudo se copia" e "o gênio não é quem não copia, é quem ninguém pode copiar"

Mas aí fico lembrando do meu projeto de dissertação, que deixei on-line para que todos vissem e acompanhassem o processo de produção. Quando vejo, no ano seguinte um energúmeno tenta entrar no programa com o meu projeto!

E então nesta semana me acontece algo parecido: propus um tema para um congresso. O tema foi aceito. Graças à esta maravilhosa internet discada q estou usufruindo, não consegui disponibilizar o material, mas "guardei" neste blog(agora acabei de deletá-lo). Quando vou colocá-lo na página do evento, para minha surpreza, outra pessoa o havia feito por mim! Então, para a comição organizadora, a outra pessoa era a autora.

Argumentei à exaustão, o que não adiantou de nada. ou, se adiantou, foi só para ouvir a cínica frase da pessoa que se apossou do tema: "mas e o tema não era colaboração? então podemos colaborar juntas" !!!!!!!!!!!!!!!!
!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Ética? Princípios? Falta de educação? não sei o que foi... mas fico pensando que nós educadores ajudamos a formar estas pessoas, com estes princípios, com estes conceitos de ética. Será que nós conseguimos compreender e realizar a colaboração e a cooperação?

3 comentários:

Miguel Ângelo disse...

A colaboração é uma estratégia necessária para os professores num verdadeiro espírito de união conseguirem levar a nau a bom porto; quem, eventualmente, pensar o contrário é hipócrita, tal como a sua "nobre orientadora". Eu sou professor e comungo da colaboração, mas mais com colegas-mulheres do que colegas-homens...

Miguel Ângelo disse...

De salientar que a cooperação é aplicada aos alunos, enquanto que a colaboração é inerente aos professores...As mudanças educativas não se fazem, sem antes existir uma boa colaboração...

Anônimo disse...

best regards, nice info »