sexta-feira, dezembro 21, 2007

bancos de dados

Encontrei 3 bancos de dados, opensource, q acho q podem ajudar a substituir o endnote:

SQLite é uma pequena biblioteca C que implementa um banco de dados SQL completo, embutido e sem configurações.

O Gnuteca é um sistema para automação de todos os processos de uma biblioteca, independente do tamanho de seu acervo ou da quantidade de usuários. O sistema foi criado de acordo com critérios definidos a validados por um grupo de bibliotecários e foi desenvolvido tendo como base de testes uma biblioteca real, a do Centro Universitário Univates, onde está em operação desde fevereiro de 2002.

Projeto Openbiblio Brasil. Um sistema para informatização e gerenciamento de bibliotecas, facilitando administração de bibliotecários e outros profissionais da informação.

Além disso, temos os projetos da PKP, dos quais acho que o Open Archives Harvester pode atender...

sexta-feira, dezembro 14, 2007

oleg popov

Presença de Oleg Popov no Seminário do INDE no CFPP Inhamissa (27-28 abr 95):

Como melhorar o ensino das Ciências Naturais e Tecnologia (CNET) na escola primária.


terça-feira, dezembro 11, 2007

defesas

Na terça-feira (11/12) às 15:00 h, será a APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA
Autora: Darlene Almada
Título: Os desafios das política pública brasileira
para EAD.

Na segunda-feira (10/12), tivemos DEFESA DE MESTRADO
Autora: Maristela Midlej Silva de Araújo
Título:O Desenho Didático Interativo na Educação On-line e a Prática Pedagógica no Ambiente Virtual de Aprendizagem: um estudo de caso

quinta-feira, dezembro 06, 2007

editar vídeos usando softwares livres

divulgando...

existem alguns softwares livres que cumprem a tarefa de edição de vídeo muito bem, entre eles:
- kino: é fácil de usar e qqer máquina roda. tem uma lógica um pouco diferente dos proprietários (http://www.kinodv. org/ )
- lives: não perde em nada para os editores proprietários profissionais (http://lives. sourceforge. net/ )
- cinelerra: alguns avaliam como o melhor nesta linha. do meu ponto de vista seu único problema são os pré-requisitos de máquina (http://heroinewarri or.com/cinelerra .php3 )
(http://pt.wikipedia .org/wiki/ Cinelerra ).

um lugar onde se consegue muita informação sobre edição de vídeo em software livre (e muitas dicas não servem só p software livre) é no estúdio livre:

http://estudiolivre .org/

segunda-feira, dezembro 03, 2007

Estudar Francês

A algum tempo publiquei aqui alguns links interessantes para quem quer estudar Francês. Agora atualizei as informações e corrigi alguns errinhos: é só seguir o link!

terça-feira, novembro 27, 2007

juntar pdfs

Estou aqui tentando juntar alguns arquivos pdf em um só. Encontrei algumas op
PDF Split and Mergetive problemas na hora q ele pediu o java...

agora outras opções p linux: Ghostscript e pdftk, q precisam de linha de comando

quinta-feira, novembro 22, 2007

Seminário: Consumo da Informação e as Novas Tecnologias

As palestras com Alex Primo, Antônio Cabral e Marcos Palácios no evento de A Tarde parece que foram muito boas.
Alex Primo falou sobre a multivocalidade nos blogs e as formas de conversação que podem ser usadas na educação e no jornalismo.
Antônio Cabral falou sobre direitos autorais e as licenças criative commons
Marcos Palacios falou sobre digitalização da informação e jornalismo Web.
No final do evento a organização informou que todas as palestras poderão se vistas no site do evento http://www.ceiatard e.com.br

II Seminário de Educação a Distância da UFBA

quarta-feira, novembro 14, 2007

Seminário: Consumo da Informação e as Novas Tecnologias

Seminário: Consumo da Informação e as Novas Tecnologias
21/11, 19:00, Faculdade Jorga Amado

TI na Bahia

Vai a indicação de um blog que eu gostei batante:
http://tinabahia.blogspot.com/
é o blog de Grinaldo Oliveira, que disponibiliza várias informações de eventos sobre TI em Salvador, além de algumas reflexões interessantes...

terça-feira, novembro 06, 2007

A Internet não é mais uma nova tecnologia

enviado p mim por e-mail...
A Internet não é mais uma nova tecnologia

A OCLC disponibilizou, recentemente. um relatório baseado nas atitudes e percepções dos que trabalham e estão envolvidos em redes sociais ou colaborativas. A pesquisa abrange dados colhidos no Canadá, na França, Alemanha Japão, Reino Unido e USA. Ao final indicações de como baixar o relatório.

O relatório é abrangente em suas pesquisa e conclusões. Abaixo mostramos uma pequena amostra dos pontos mais
reveladores apontados:

resultados indicados para a WEB e a Internet


• A Internet não é mais uma nova tecnologia e tem sido usada pela grande maioria dos respondentes em todos os países por mais de sete anos;

• o uso da Web não é dominado por jovens. Dois terços da amostra total indica que o usuário da web esta com a idade no entorno de 50 anos e tem usado a rede por mais de 10 anos;

• o uso da web está geograficamente espalhado nos espaços urbanos, nas periferias e no campo 9 para a amostra estudada);

• O uso de serviços padrões de Internet como email e robots de busca estão próximos da saturação na ppinião dos usuários. Clientes web em todos os países esperam modificações tecnológicas substanciais nesse e em outros serviços da web, a curto prazo;.

• o consumo via Internet está sedimentado e tende a aumentar; o atual nivel de segurança é aceito pelos usuários;

• A comunidade web tem se transformado rapidamente , de uma comunidade de usuários para uma comunidade que construtores da web. Metade da amostra estudada possui seu blog, sua página pessoal, usam salas de discussão, e sites de conteúdo compartilhado;

• o usuário da web é cada vez mais leitor online do que um impressor de papel para uma leitura tardia. A visualização e a concisão da informação são elementos fundamentais no desenvolvimento da webtobe;

• Está havendo uma modificação de uma web construída por milhares de autores para uma construída por milhoes de colaboradores. A emergência dos sites de participação social está mudando a cultura da web;

• No relatório, os sites foras divididos em duas categorias: a) sites de redes socias onde o usuário pode interagir e trocar interesses, atitudes e atividade(e. g., MySpace,Mixi, Facebook, etc.); e b) sites de midia social usados principalmente para colocar acessar e trocar conteúdos (e.g., YouTube, Snapfish, etc.);

• Metade dos estudantes secundários e universitários pesquisados usam sites sociais e colaborativos;


O Report to the OCLC Membership Dublin, OH: OCLC,
de autoria de De Rosa, Cathy, Joanne Cantrell, and Andy Havens, outros se chama:
Sharing, Privacy and Trust in Our Networked World: 2007.
http://www.oclc. org/reports/ sharing/default. htm

Para baixar o Relatório em PDF ( 280 páginas, 11 Mbytes, em inglês)
http://www.oclc. org/reports/ pdfs/sharing. pdf

segunda-feira, novembro 05, 2007

Ciencia desde o Ensino fundamental

Ciencia desde o Ensino fundamental

Por Jorge Werthein

Publicado no A Tarde

04/11/2007

Há alguns anos insistimos na importância da introdução
do ensino de ciências desde o ensino fundamental.

Fundamenta-se esta insistência na experiência dos
países desenvolvidos, cujas avaliações mostram o
grande impacto que tem o ensino de ciências na
melhoria da qualidade da educação. Dizíamos também
que, ao democratizar o acesso ao conhecimento
tecnológico dos alunos nas escolas públicas,
promove-se uma política de inclusão social que é
extremamente necessária em uma região tão desigual
como é a América Latina.

Enfatizávamos ainda a necessidade de melhorar
significantemente o ambiente escolar, tornando a
escola mais atrativa e um lugar onde os alunos têm
vontade de ir e ficar, e assim, conseguiríamos
diminuir os níveis de violência tanto simbólica quanto
física, hoje presentes com assustadora freqüência no
cotidiano das escolas. Reafirmávamos a importância da
melhoria das relações entre alunos e professores
fomentando o diálogo entre ambos.

A Secretaria Municipal de Educação de Salvador
acreditou nessas premissas e, de forma diligente,
decidiu implementar o programa de educação de
ciências, para o qual a Ritla foi selecionada para
realizar sua avaliação. Nesta primeira etapa da
avaliação, tivemos o imenso prazer de poder verificar
que, na experiência de Salvador, ocorreram várias das
principais conseqüências que mencionávamos como
possíveis com a introdução do ensino de ciências desde
o ensino fundamental. Sim, em Salvador, Bahia, foi
possível comprovar o tremendo impacto que podem ter as
políticas educacionais quando conscientemente
formuladas e implementadas.

A necessidade de melhorar a qualidade da educação
básica no Brasil tem sido extensivamente discutida.

Existem várias estratégias defendidas para esta
finalidade, como, por exemplo, aprimorar a formação
dos docentes, implantar o turno integral, utilizar as
novas tecnologias da comunicação e da informação nas
escolas e equipar os estabelecimentos de ensino.

Todas são válidas e, certamente, se colocadas em
prática, colaborarão para melhorar a educação.
Contudo, existe uma alternativa de grande impacto que
é pouco lembrada: o ensino de ciências desde os
primeiros anos do ensino fundamental.

Esta alternativa é importante para que o Brasil tenha
a capacidade de atender às necessidades básicas de sua
população, pois habilita os estudantes a aprenderem a
solucionar problemas atuais e a tratar das
necessidades da sociedade, utilizando as mais variadas
formas de conhecimento científico e tecnológico. O
ensino das ciências, sobretudo em uma abordagem
interdisciplinar, amplia e aguça a observação, tão
necessária às demais disciplinas escolares, pois as
fronteiras estabelecidas entre as diversas matérias
tendem, cada vez mais, a ceder lugar a um tratamento
pedagógico transdisciplinar, de forma a se
estabelecerem novas relações entre as ciências humanas
e as ciências exatas e naturais.

Portanto, uma educação apropriada, de espírito
experimental e humanístico, é absolutamente essencial
no contexto da revolução científica e tecnológica que
estamos vivendo.

No Brasil, já existem algumas iniciativas
bem-sucedidas para a popularização do ensino de
ciências, como, por exemplo, o programa Ciência e
Tecnologia com Criatividade (CTC). A Rede de
Informação Tecnológica Latino-Americana (Ritla) lançou
recentemente o relatório parcial com a avaliação deste
projeto no município de Salvador, Bahia.

Idealizado pela Sangari Brasil, o programa tem como
objetivo dar novo significado à aprendizagem em
ciências de uma maneira criativa, possibilitando o
resgate da auto-estima dos alunos, valorizando um
processo participativo e lúdico de aprendizagem e
valendo-se da utilização de diferentes materiais
didáticos, como livros, jogos, vídeos e materiais para
experimentação. Em linhas gerais, o programa
transforma a sala de aula em um verdadeiro laboratór
io.

A avaliação do programa, desenvolvido de forma piloto
em 11 escolas da rede municipal pública de Salvador
mediu a percepção dos envolvidos (alunos, professores,
diretores, coordenadores e gestores públicos) quanto à
implementação e impacto do projeto no processo
educativo.

Entre as principais conclusões, verifica-se que o
programa cria ambiente de aprendizagem nas salas de
aula para melhorar significativamente o ensino de
ciência e tecnologia. Além disso, estimula a criança a
pensar e a pensar criticamente, desenvolvendo a
capacidade de resolver problemas e o senso de
cooperação, trabalho em grupo e respeito ao próximo. O
programa também de destaca, pois desenvolve a
auto-estima e a autoconfiança das crianças através do
fortalecimento pessoal e inclui estratégias que
envolvem os pais dos alunos no processo de
aprendizagem, transformando a escola em um ambiente
mais atrativo, o que motiva alunos a entenderem as
aulas, facilitando o aprendizado contínuo durante toda
a vida.

De uma forma geral, o estudo vislumbrou as inúmeras
possibilidades do programa CTC na aprendizagem dos
alunos, nas mudanças nas atitudes em seus processos de
aprendizagem em ciências, isto é, na maior
disponibilidade para estudar, ousadia para aprender,
levantar hipóteses, buscar informações, observar e
formular explicações.

Evidenciou também avanços na compreensão dos
conceitos, procedimentos e valores envolvidos nos
módulos trabalhados. Por tudo isso, acreditamos que
iniciativas como estas devem ser expandidas e
replicadas, e, só assim, será possível romper o ciclo
de exclusão e atraso que afetam tantas crianças e
jovens brasileiros.

Jorge Werthein
Diretor Executivo
RITLA

quinta-feira, novembro 01, 2007

Triângulos compreensivos da ciência, tecnologia e inovação





Liinc em Revista > Vol. 3, N° 2 (2007) open journal systems




Triângulos compreensivos da ciência, tecnologia e inovação

Marcello Barra, UnB


Resumo
O trabalho verificou a existência de três relações, a importância disso para a compreensão do desenvolvimento da CT&I e as implicações para o pensamento sociológico. A tecnociência despontou como conceito explicativo fundamental para compreensão da distribuição e do uso da ciência e tecnologia numa sociedade, por meio do Estado. Observou-se a influência da relação entre Estados – nacionais e supranacionais – para que uma inovação social se desse. Finalmente, mostrou-se a presença de relação entre tecnociência e inovação social.

Palavras-chave: tecnociência; inovação social; Estado; CT&I; sociologia.



Texto completo: PDF

Redes: articulações entre ciência, tecnologia e sociedade

A Liinc em Revista convida pesquisadores das diversas áreas do conhecimento a submeterem artigos para o seu próximo número (Vol. 4, N. 1), que terá como tema Redes: articulações entre ciência, tecnologia e sociedade. Os trabalhos devem ser enviados até o dia 15 de dezembro de 2007
Veja a chamada
Veja as normas de publicação

quarta-feira, outubro 17, 2007

Mapa mental sobre Tecnologias e Práticas Sociais

Mapa mental sobre as Tecnologias Sociais, de Alex Primo, que baseou sua apresentação no ciclo de debates “Além das Redes de Colaboração“, promovido pela Associação Software Livre e pela Casa de Cinema de Porto Alegre, com apoio do Ministério da Cultura. sua palestra foi apresentada no painel “Politizando as Tecnologias: como as redes reconfiguram a sociedade, a educação e a cultura?”
Este mapa é baseado na tipologia de 3 fases do desenvolvimento tecnológico, de André Lemos (2002).

Vale a pena também ver o mapa mental de Cibercultura, que ele apresenta uma versão beta no mesmo post, além, é claro, de passear livremente neste blog super legal.

Ambos estão em copyleft.

segunda-feira, setembro 24, 2007

sloodle

http://www.sloodle.com/
http://www.sloodle.org/
PUTTING A SECOND LIFE “METAVERSE” SKIN ON LEARNING MANAGEMENT SYSTEMS
http://slisweb.sjsu.edu/sl/index.php/Sloodle
http://napraia.blogs.ca.ua.pt/2007/03/05/sloodle/
Fórum sl
escola de idiomas LanguageLab começa a oferecer aulas de inglês

Cardoso, Ciro Flamarion Ficção científica, percepção e ontologia: e se o mundo não passasse de algo simulado?. História, Ciências, Saúde-Manguinhos, 2006, vol.13, n. , ISSN 0104-5970

second life

Artigos da Science Magazine sobre o Second Life:
This Second Life avatar looks healthy--so far.
Science 18 May 2007:
Vol. 316. no. 5827, p. 961
DOI: 10.1126/science.316.5827.961a

The Scientific Research Potential of Virtual Worlds

Science 27 July 2007:
Vol. 317. no. 5837, pp. 472 - 476
DOI: 10.1126/science.1146930

Living in Societies

Science 7 September 2007:
Vol. 317. no. 5843, p. 1337
DOI: 10.1126/science.317.5843.1337

The Promise of Parallel Universes

Science 7 September 2007:
Vol. 317. no. 5842, pp. 1341 - 1343
DOI: 10.1126/science.317.5842.1341

The Scientific Research Potential of Virtual Worlds

Science 27 July 2007:
Vol. 317. no. 5837, pp. 472 - 476
DOI: 10.1126/science.1146930

COMPUTER SCIENCE:
Virtually Trustworthy

Science 6 July 2007:
Vol. 317. no. 5834, pp. 53 - 54
DOI: 10.1126/science.1142770

Search Technologies for the Internet

Science 27 July 2007:
Vol. 317. no. 5837, pp. 468 - 471
DOI: 10.1126/science.1126557


sábado, setembro 22, 2007

Bibliografia comentada

Bibliografia comentada
Pesquisa em educação: abordagens qualitativas

ANDRÉ, Marli Eliza D. A. de. Etnografia da prática escolar. Campinas: Papirus, 1995.

ALVES, Nilda; GARCIA, Regina Leite (Org.). O sentido da escola. Rio de Janeiro: DP&A, 2000. p. 17-40.

BOGDAN, Robert e Biklen, Sari. Investigação qualitativa em educação. Porto: Porto Editora Lda, 1999.



Complexidade, Construção da Ciência, Tecnologias

CAPRA, Fritjof. A teia da vida : uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. 6. ed. São Paulo: Cultrix, 2001.

CAPRA, Fritjof. O ponto de mutação. 21. ed. São Paulo: Cultrix, 2000.

FOUREZ, Gerárd. A construção das ciências: introdução à filosofia e à ética das ciências. São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista, 1995.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo, SP: Ed. 34, 1999.

harvey

SANTOS, Milton. Técnica, espaço e tempo: globalização e meio técnico-científico informacional. São Paulo, Editora Hucitec, 1997

TENÓRIO, R.M. Computadores de Papel: máquinas abstratas para um ensino concreto, Cortez, São Paulo, 1991.




Ensino de Ciências

MORTIMER, Eduardo Fleury. Linguagem e formação de conceitos no ensino de ciências. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2000. 384 p.



Ciência, Tecnologia e Sociedade nos currículos na formação de professores de Ciências


Políticas Públicas: Ciência, Tecnologia e Sociedade

BRASIL, MEC. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Nº 9394/96 de 6 de dezembro de 1996.

BRASIL, MEC. Subsídios para elaboração de Propostas de Diretrizes Curriculares Gerais para as Licenciaturas, MEC/ Março, 1999.

BRASIL,MEC. Diretrizes Curriculares para os |cursos de Graduação, MEC, SESu, Brasília, 1999. Disponível em:. Acesso em 15 out. 2006.

BRASIL,MEC. Plano Nacional de Educação - Lei nº 10.172/2001

BRASL, MEC. DECRETO No 3.276, DE 6 DE DEZEMBRO DE 1999.

CNE. Parecer nº776, de 03 de dezembro de 1997. Orientação para as diretrizes curriculares dos cursos de graduação. Disponível em: <>. Acesso em 15 de out. 2006.

Decreto Nº 3.276, de 06 de dezembro de 1999: Dispõe sobre a formação, em nível superior, de professores para atuar na área de educação básica, e dá outras providências.

DECRETO No 3.276, DE 6 DE DEZEMBRO DE 1999. Dispõe sobre a formação em nível superior de professores para atuar na educação básica, e dá outras providências. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/D3276.htm

Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Ciências Biológicas

DOU de 26 de março de 2002. Seção 1, p. 12.

DOU de 9 de abril de 2002. Seção 1, p. 31. Republicada por ter saído com incorreção do original no DOU de 4 de março de 2002. Seção 1, p. 8.

Parecer CNE/CES n.º 583, de 4 de abril de 2001. Orientação para as diretrizes curriculares dos cursos de graduação:

Parecer CNE/CES n.º 67, de 11 de março de 2003. Aprova Referencial para as Diretrizes Curriculares Nacionais - DCN dos Cursos de Graduação e propõe a revogação do ato homologatório do Parecer CNE/CES 146/2002.

Parecer CNE/CES n.º 776, de 3 de dezembro de 1997.

Parecer CNE/CES nº 1301, aprovado em 6 de novembro de 2001

Resolução CNE/CES nº 7, aprovada em 11 de março de 2002

RESOLUÇÃO CNE/CP 1, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2002. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica. http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/0102formprof.pdf

Resolução CNE/CP nº 1, aprovada em 18 de fevereiro de 2002

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1997.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Referenciais para formação de professores. Brasília: MEC/SEF, 1999.

BRASIL. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros curriculares nacionais. Brasília 2000.

BRASIL. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Diretrizes curriculares nacionais. Brasília 2000.

Situação de Ensino: uma metodologia do ensino das ciências

Lendo o texto de Sandra mara Mezalira, A perspectiva da complexidade na compreensão da relação Ciência, Tecnologia e Sociedade (CTS) no ensino de Ciências Naturais, encontro a seguinte fala:
Estudos (MALDANER; ZANON, 2004), mostram insuficiências na aprendizagem de conceitos e conteúdos pelos estudantes, por isso propostas metodológicas curriculares como a Situação de Estudo (SE), são produzidas e desenvolvidas para a Educação Básica. A SE tem como propósito, além de acatar a possibilidade disciplinar que também é fundamental, considera o caráter interdisciplinar aliado à vivência dos estudantes, a evolução conceitual e sua significação no percurso das aulas, a formação inicial e continuada de professores e a compreensão da relação entre conhecimento científico, novas tecnologias e a sociedade (ARAÚJO et al, 2005)
...
Nesse sentido, a proposta curricular de SE busca repensar o processo de ensino-aprendizagem tradicional, por meio do desenvolvimento de algumas características, dentre elas, a inter-transdisciplinaridade nas aulas de Ciências Naturais, pois se acredita que os fenômenos naturais sejam eles biológicos, físicos, químicos, sociais ou mentais, não têm sentido real se não forem compreendidos na sua especificidade e na sua complexidade.
MALDANER, Otavio Aloisio; ZANON, Lenir Basso. Situação de Estudo - Uma organização do ensino que extrapola a formação disciplinar em Ciências. In: MORAES, Roque; MANCUSO, Ronaldo. Educação em Ciências-Produção de currículos e formação de professores. Ijuí/RS: Ed. Unijuí, 2004, p.43-64.
ARAÚJO et. al. Situações de Estudo como forma de inovação curricular em Ciências Naturais. In: Sifod - III Simpósio de Formación Docente, Oberá, 2005.


Sendo assim, procurei algumas referências sobre esta metodologia, "Situação de Estudo" e selecionei as q seguem:
Maldaner, Otavio Aloisio; Zanon, Lenir Basso. Situação de Estudo: uma organização do ensino que extrapola a formação disciplinar em ciências
Souza, Marcus; Dantas, Valter; Freitas Filho, João Rufino; Almeida, Maria Angela. Utilização de Situação de estudo como forma alternativa para o ensino de física.
Mortimer, Eduardo Fleury. Construtivismo, mudança conceitual e ensino de ciências: para onde vamos?
Amara, Ivan Ambrosino. Metodologia do ensino de ciências como produção social
MALDANER, O.A.; ZANON, L. B. (2001). Situação de Estudo: uma Organização do Ensino que Extrapola a Formação Disciplinar em Ciências. Espaços da Escola, 41,45-60.
Binsfeld, Silvia Cristina; Zanon, Lenir Basso. A participação de materiais de divulgação científica no desenvolvimento de uma situação de estudo no ensino médio.

sexta-feira, setembro 21, 2007

Livros sobre experimentação em ciências

De portugal: Explorando ensino experimental em ciências

Educação em Ciências e Ensino Experimental
Flutação em líquidos
Dissolução em líquidos
Sementes, Germinação e Crescimento

Outro é da Editora Educación:
Libro 3: Experiencias innovadoras de utilización de las NTIC en actividades prácticas de ciencias

segunda-feira, setembro 17, 2007

VII ESOCITE


Jornadas Latino-Americanas de Estudos Sociais das Ciências e das Tecnologias

28-29-30 de maio de 2008

Rio de Janeiro, RJ

Brasil


Submissão de resumos (até 1 de outubro de 2007)

A cultura do blog

PAZ, Carolina Rodrigues. A cultura do blog: questões introdutórias. Rev. Famecos: mídia, cultura e tecnologia. Vol. 1, No 22 (2003)

segunda-feira, setembro 10, 2007

Residência para professores?

projeto de lei 227/07, do senador Marco Maciel (DEM-PE)
Acrescenta dispositivos à Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, para instituir a residência educacional a professores da educação básica.

É de fundamental importância que os professores responsáveis pelos estágios, as demais disciplinas relacionadas à formação de professores, bem como alunos das licenciaturas, tomem conhecimento e se posicionem quanto a este projeto. Apesar de ser uma medida recomendada apenas para os anos iniciais do ensino fundamental, mexe com a formação de professores como um todo.

Informações gerais
Tramitação

sexta-feira, setembro 07, 2007

Linux é o sistema operacional mais citado na blogosfera

Linux é o sistema operacional mais citado na blogosfera, é o que mostra o E.Life Monitor. No estilo do Technorati, o e.life "mede" a popularidade e relevância de marcas na Internet. De acordo com a versão brasileira, em 07 de setembro, o Linux é o sistema operacional mais citado entre citações de 6051 comunidades on-line.
O que é o e.life?
É uma empresa com uma sacada interessante: monitora e analisa o boca-a-boca de marcas, produtos e serviços nos espaços públicos de diálogos na web (comunidades, blogs, fóruns...). Vendem então este serviço para os donos das marcas, traçando o perfil da empresa para o público na web.
Como funciona?
Os produtos são classificados em categorias e, através de buscadores (como o google), são encontradas citações no boca-a-boca na web. Depois é calculado um índice de relevância e poupularidade de cada marca, através de links e citações ao comentário. Tudo isto é ranqueado nas tais categorias, independente de o comentário ser negativo ou positivo. O "sentimento" quanto a marca que é vendido às empresas.

Tops da blogosfera

O BlogosferaNews é um indexador de notícias, que agrega-as de acordo com uma votação de usuários.

quarta-feira, setembro 05, 2007

Frances online

Embaixada da França no Brasil
www.france.org.br
FrancoClic - Língua e Cultura Francófonas
www.francoclic.mec.gov.br
Organisation Internacionale de la Francophonie
www.francophonie.org
Br@anché - programe télévisé diffusé sur TVEscola
http://www.multirio.rj.gov.br/francês
www.efrances.org/Agora
Reflets-Brésil
www.rioscope.com.br/website/article.php3?id_article=77
francoclic.mec.gov.br/reflets/index.php

segunda-feira, setembro 03, 2007

Blog faz gostar +?

Esta semana um colega, novo na lista de discussão sobre blogs, ao se apresentar, disse que pretendia usar os blogs como ferramenta de avaliação, além de apresentar dados que dizem que estudantes que participam de cursos que tem blogs tem uma aversão menor à física, no final do cursos. Isso gerou reflexões interessantes:

Interessante, "blog como ferramenta de avaliação".
Como assim, quem posta um comentário interessante tem um ponto a mais na prova? ou você usa os posts como feedback dos alunos? você também usa o blog para avaliar sua prática?

Venho tentando utilizar os blogs na formação de professores de Ciências* e, por mais que se discuta sobre os objetivos e pressupostos do ensino de ciências, sobre o papel do professor e da avaliação, eles só fazem as atividades "sugeridas" se eu digo que faz parte da "avaliação" (subentendendo um pontinho ou algo que o valha). Ainda não encontrei um jeito (no meu encaminhanento e na proposta) de eles perceberem os blogs como um espaço de formação e construção coletiva. Então gostaria de saber: como vc notou que "estudantes que participam de cursos que tem blogs tem uma aversão menor à física, no final do cursos"?


*Uso (ou tento) os blogs nas disciplinas Ensino de Ciências, Projetos de Ensino de Ciências, para o curso de Ciências Naturais; além da Educação e Tecnologias Contemporâneas, para o curso de Pedagogia e Ciências, ambos da UFBA.

sábado, agosto 18, 2007

Blogs no Brasil: medalha de bonze

Vc sabia que o Brasil esta em terceiro lugar no numero de blogueiros no mundo???
veja esta notícia na integra

sexta-feira, agosto 17, 2007

terça-feira, agosto 14, 2007

inclusão digital: elocubrações

seguindo com as discussões sobre inclusão digital, feitas no grupo de pesquisa, convido a todos para ver algumas elocubrações no blog do GEC.

quarta-feira, agosto 01, 2007

falando em vídeos de educação

esse vídeo é bem legal, questiona vários valores da educação na sociedade contemporânea

sexta-feira, julho 27, 2007

ETIC?

Vídeos que problematizam a relação entre educação, tecnologias, informação e comunicação:

"Não basta entupir de recursos tecnológicos materiais se não houver
metodologia de trabalho e projeto pedagógico." Vídeo da UNIPAC
ou tecnologias para fazer mais do mesmo


Conhecimentos Livres




talvez pode ser útil








quarta-feira, junho 20, 2007

quinta-feira, junho 14, 2007

Auto-avaliação

Você sabe o que é e para que serve a auto-avaliação? Veja um pouco mais sobre isto no texto abaixo:

BARBOSA, João; ALAIZ, Vitor. Auto-avaliação: Caminho percorrido... Percurso a construir... In: “Pensar avaliação, melhorar a aprendizagem”/IIE
Lisboa: IIE, 1994.
www.dgidc.min-edu.pt/serprof/acurric/av_es/texto(33).pdf

quarta-feira, junho 13, 2007

Remediação: revisando conceitos

Revendo algumas coisinhas ainda da dissertação.
Em certo ponto, proponho que o blog não é simplesmente a transposição do diário de papel para a internet. Graças às contribuições de minha banca, cheguei ao conceito de remediação.
O conceito é proposto em
Jay David Bolter & Richard Grusin, Remediation: Understanding New Media, Cambridge, Massachusetts, MIT Press, 1999; 2ª ed. 2000.
Da mesma autoria, é lançado posteriormente o livro:
Jay David Bolter. Writin Space: computers, hypertext and the remediation of print. 2. ed. Nova Jersey: Lawrence Erlbaum Associates, 2001.
Infelizmente, até agora não consegui encontrar nenhuma das duas obras, mas eles são citados por vários autores.
O conceito de remediação também é comparado com as discussões de McLuhan, que diz que
o conteúdo de um meio é sempre outro meio.
Segundo o site DigLitWeb
, este conceito foi proposto para
para compreender a relação entre diferentes media, e em especial a importação de media anteriores para novos media, como acontece com as aplicações hipermédia, características da tecnologia digital.
Então alguns autores trazem este conceito ao analisar a notícia e sua passagem nos diferentes meios, Tv na internet, o livro depois do livro.
Espero em breve trazer uma nova leitura sobre esta relação entre os diários de papel e os blogs.

segunda-feira, abril 09, 2007

A web é coisa do passado

O criador do hipertexto acha a World Wide Web quadrada demais e prega uma nova maneira de navegar na rede
Revista Época, Edição 461 - 19/03/2007
*Blogs viram livros e ficam palpáveis ao leitor*
> Transição do on-line para o impresso tem sido
> freqüente no mundo dos blogs.
> Processo atinge mais leitores e depende, em parte,
> do sucesso.
>
>
> *Link da reportagem:*
>
> http://g1.globo.com/Noticias/Tecnologia/0,,MUL18256-6174,00.html
>


Concordo com Marco Aurélio Gois dos Santos: blog e texto impresso são coisas completamente diferentes. Quer dizer, mais ou menos, se vc realmente quiser, pode tentar escrever tal qual um manuscrito para virar livro.

O que eu acho legal é que isso leva a pensar em um bocado de coisas: afinal, não é tudo palavra do mesmo jeito? pq colaborar? se eu escrevi, é meu? link, hipertexto, polifonia? seqüência?
“Além disso, o Balde de Gelo já foi pensado com algo literário, com uma sequência, o que facilitou a transição.”
e quem disse que no papel tem que ser linear?

Para minha felicidade e desespero de alguns, nossa língua não é morta! mesmo que a escola muitas vezes se esforce p mostrar o contrário...

mas e se consideramos a língua como viva e mutante, pq ainda nos causa espanto cada mudança? e se considerarmos a escola como parte responsável pela perpetuação de uma língua morta, o que podemos fazer p mudar isso? vejo tb q muitas vezes nós, professores, matamos muitas outras coisas além da língua (a ciência, a autonomia dos alunos, a maleabilidade da escola...), mas e o q fazer p mudar?

fica aqui a provocação...

quarta-feira, março 28, 2007

FORMAÇÃO INICIAL REFLEXIVA DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS E BIOLOGIA:

Espaços não-formais de ensino e o currículo de ciências

How to cite this article: Close

ISO Format
VIEIRA, Valéria, BIANCONI, M. Lucia and DIAS, Monique. Espaços não-formais de ensino e o currículo de ciências. Cienc. Cult., Oct./Dec. 2005, vol.57, no.4, p.21-23. ISSN 0009-6725.

Electronic Document Format (ISO)
VIEIRA, Valéria, BIANCONI, M. Lucia and DIAS, Monique. Espaços não-formais de ensino e o currículo de ciências. Cienc. Cult. [online]. Oct./Dec. 2005, vol.57, no.4 [cited 28 March 2007], p.21-23. Available from World Wide Web: . ISSN 0009-6725.




terça-feira, março 27, 2007

segunda-feira, março 05, 2007

softwares educativos de ciências

Soft Ciências
bve
Geração Byte
Interage
uma reportagem

Análise de software educativo

Encontramos cá um roteiro muito interessante para análise de softwares educativos. Este roteiro é encontrado no site Pedactice, onde encontram-se outros modelos igualmente interessantes, com classificação numérica, critérios de avaliação separados por grupos de análise, uma ficha de registro e outra de aplicação dos softwares.

domingo, fevereiro 25, 2007

quinta-feira, fevereiro 15, 2007

Buscas no Google

A Marli publicou em seu blog umas dicas muito interessantes sobre como otimizar as buscas no Google. Vale a pena dar uma olhada...

domingo, fevereiro 11, 2007